Conceito, Reflexões

A Caminhada

Por Débora Maciel – Psicanalista

A Caminhada, cada um tem a sua.
Ela pode ser longa ou curta.
Ela pode ser fácil ou dura.
Ela pode ser tranquila ou cansativa.
A Caminhada, conteúdos internos que nos direciona.
Pode ser doce ou azeda.
Pode ser gostosa pu péssima.
Uma coisa é certa só sabe quem vive a Sua Caminhada.
Pode ter momentos, pode ter tristezas, pode ter alegrias.
Pode-se estar em baixa ou em alta.
O mais importante é viver Sua Caminhada, olhar para o Seu Caminhar.
O vizinho tem a Caminhada dele que pode ser vem diferente da Sua.
O que para você faz sentido pode não fazer para o outro, e está tudo bem.
No final o que importa é ter se importado menos com a Caminhada dos outros e ter focado na Sua Caminhada.
.
Faça Análise, se permita.

Conceito, Reflexões

O Tempo

Por Débora Maciel – Psicanalista

O tempo.
Ah o tempo…
Ele vem e vai.
Ele não tem fim.
Ele leva e traz.
Ele atormenta e traz paz.
Ele sossega e apavora.
Ele se faz e se refaz.
Traz medo. Traz amor.
Traz ódio. Traz rancor.
Traz raiva. Traz tristeza.
Traz alegria. Traz perda.
Traz ganho. Traz luto.
Traz liberdade. Traz prisão.
Ah o tempo…
Quem o quer? Quem não quer?
Quem o tem? Quem o retém?
Quem gosta? Quem desgosta?
Quem gostaria que fosse seu, o tempo?
Quem gostaria de ter, seu poder?
Ele constrói. Ele destrói.
Nem tudo é no seu tempo.
Pois tudo tem seu tempo.
Querer nem sempre é poder, pois refém do tempo vai ser.
Lembrar e se esquecer dele depende e sempre irá depender.
Viver, desviver ou reviver seu tempo vai dizer.
Quando se quer, sem querer o tempo é preciso reconhecer.
Respeitar o tempo necessário se torna, para olhar para si despido da memória.
Esquecer muitas se quer e necessita, pois da dor se quer fugir, mas no tempo de cada um, a lembrança retorna para um novo ser descobrir. E, a vida sua viver agora, no seu tempo, sem pressa, sem medo, sem receio, apenas se quer ser quem sempre quis e não era hora.
.
Faça Análise.
Se Permita.
.
Faça parte do Grupo de Estudos. Entre em contato.

Conceito, Reflexões

AutoCuidado

Por Débora Maciel – Psicanalista

O AutoCuidado é criado logo depois do nascimento e vai se desenvolvendo com o passar do tempo.
Para que na fase adulta essa pessoa consiga ter apreço consigo e o AutoCuidado, é preciso que tenha vivido isso antes. Que alguém tenha cuidado dela e ela sentido o toque, a sensação de estímulo da pele.
Quando a mãe dá banho no bebê, troca, passa creme ou óleo em seu corpinho, está levando ele a uma experiência única. Essa sensação de ser cuidado, de ser acolhido vai gerar nesse bebê o AutoCuidado e isso ninguém poderá tirar dele. Toda vez que ele mesmo, quando adulto, tocar em si, pentear seus cabelos, passar creme em seu corpo terá uma sensação agradável que remeterá seu inconsciente aquela sensação que tinha quando sua mãe cuidava dele.
Dessa forma conseguirá cuidar de si e de quem dele depende.
É importante compreender que todo excesso é adoecido, ou seja, aquelas pessoas que tem por si um cuidado que vai além, como cirurgias plásticas, esforços desmedidos  com exercícios físicos, roupas, maquiagens, etc. Ou aqueles que nem conseguem domar banho com frequência, escovar os dentes, cuidar de seus cabelos, etc, estão no excesso para mais e para menos, demonstrando um adoecimento em cada situação.
O AutoCuidado na medida é um reconhecimento de si próprio. É olhar para si com amor e dar a manutenção devida ao corpo, alma e mente.
O AutoCuidado também está relacionado a questões internas, como respeito próprio, cuidado espiritual e mental. Quando a pessoa, mesmo tendo sido cuidada quando pequena, começa a deixar de cuidar de si, pode significar um interior desnutrido. Para que o exterior esteja bem é preciso um movimento de dentro para fora, o interior é o que reflete todo o exterior. Mesmo que em determinados momentos a pessoa consiga sustentar um exterior intocável, se o interior estiver deficitário logo será difícil sustentar algo aparente e se manifestará seu interior sofrido.
AutoCuidado também está relacionado ao respeito próprio ao cuidado com os limites, sendo tido quando necessário. Para isso é preciso ouvir seu Eu que fala, muitas vezes baixinho por ter sido negligenciado, mas ele fala e quer ser ouvido e cuidado.
Diante de uma escolha de um início para o AutoCuidado, o interessante é que possa ser de dentro para fora, pois com o Eu olhado, cuidado e respeitado todo o corpo (exterior) refletirá e passará a ser cuidado também.
Todos nós precisamos de equilíbrio em todos os sentidos, mas nem sempre esse equilíbrio se consegue sozinho. É preciso ter sido desenvolvido um AutoCuidado para ser capaz de pedir ajuda e procurar o equilíbrio em cada área. O equilíbrio total é impossível, mas o equilíbrio para que as coisas funcionem de forma mais engrenada é possível encontrar.


Faça Análise, se permita.

Faça parte do Grupo de Estudos em Psicanálise, Ludoterapia e/ou Formulações Religiosas.

Entre em contato: (16) 98220-8272

Conceito

Análise Pessoal para um Psicanalista

Psicanálise do Acolhimento

Por Débora Maciel – Psicanalista/Psicopedagoga

A Análise pessoal é uma das exigências do Tripé da Psicanálise (Análise Pessoal, Estudo das Teorias e Supervisão).
Para um Psicanalista é muito importante fazer Análise Pessoal, pois é ela que dará a maior base para um atendimento psicanalítico. Se a análise do Psicanalista for rasa ou inexistente, o seu atendimento também será raso, sem condições de levar seu paciente a camadas mais profundas do inconsciente. É preciso que ele tenha ido até mais fundo para conhecer o caminho e conseguir estar com seu paciente lá também, compreendendo o quanto é dolorido e que o tempo do paciente é importantíssimo para a expansão da Análise Pessoal.
Infelizmente, hoje se vê profissionais se dizendo qualificado e atendendo sem esse preparo. O que, considero eu, um desrespeito ao paciente, como também, uma certa crueldade, pois o profissional sem as ferramentas necessárias pode causar mais estrago e piorar a situação do paciente.
Outros se julgam tão experientes que acreditam não precisar mais dessa ferramenta e, em algum momento irão travar a análise do seu paciente, pois entrará em conflito com a sua verdade e ele não terá o preparo para lidar com ela sozinho, não conseguindo levar seu paciente além.
Para estar com o paciente de coração nessa caminhada é preciso cuidar de si, é preciso manter o Tripé, é preciso respeitar a si e o seu tempo para respeitar o paciente e o tempo dele.
Para se qualificar Psicanalista o mesmo precisa acreditar na Psicanálise e manter seu tripé em dia, mesmo sendo doloroso, mesmo sendo difícil, caso contrário, não pode se nomear realmente Psicanalista.
.
Faça parte do Grupo de Estudos. Entre em contato.

Boas Vindas, Conceito

O Silêncio…

O silêncio de Deus e o nosso silêncio – Diocese de União da Vitória –  Paraná – Brasil

Por Débora Maciel – Psicoterapeuta

O silêncio muitas vezes é desejado e outras é um martírio.
Se quer por perto e outras se quer longe.
As vezes é confortável e outras é insuportável.
Nele se pensa, nele se repensa…
Nele se chora, nele se encontra…
A busca é cruel e encontrar é distante.
O silêncio, às vezes, se torna intocável e as vezes inalcançável.
Pode ser difícil de se encontrar e a busca pode ser exaustiva.
É fato que nele muito se acontece, o mover é presente.
É fato que é dolorido e pode ser exaustivo.
Quem nunca se encontrou num silêncio total e até se perdeu, quando voltou nem sabia onde se encontrava.
Quem nunca precisou e tirou dele algo que de longe buscava.
Quem nunca usou dele os momentos que nem imaginava.
Quem nunca necessitou, pelo menos um segundo, do silêncio de seu ser, do silêncio de sua alma.
Alma… Alma… Essa alma que grita, que se esconde, que se manifesta até sem ser solicitada. Alma que pulsa e que vibra cada segundo, não para e nunca vai parar. É ela que nos faz, é ela que precisa de silêncio para pensar, para realizar, para compreender e amadurecer o ser que está a frente, a caminhar.
E é no silencioso que encontra paz, no silencioso que encontra respostas.
No silencioso que encontra amor.
No silencioso que encontra respeito.
No silencioso que encontra renovo.
E, depois de passar pelo silêncio é possível perceber que ele era necessário, que ele era fundamental. Porém só depois de passar por ele que se pode reconhecer o quanto ele é essencial.

Faça Análise, se permita.

Credito imagem: dioceseunivitoria.org.br

Boas Vindas, Grupo de Estudos

INÍCIO DA CLÍNICA EM PSICANÁLISE

GRUPO DE ESTUDOS: INÍCIO DA CLÍNICA – PSICANÁLISE


Inicia em 18/11 às 10h.


Para você que é estudante ou está iniciando seus atendimento ou profissionais da área, venha fazer parte do Grupo de Estudos em Início da Clínica em Psicanálise.
Será abordado assuntos relevantes para clinicar e as principais teorias básicas para o atendimento.
Encontros Online e ao Vivo.
Aulas gravadas com acesso por 30 dias.
E acesso ao grupo pelo whatsapp para tirar dúvidas.


Investimentos de R$70,00 por mês.

Entre em contato (16) 98220-8272

Coordenação:
Débora Maciel – Psicoterapeuta
E
Vanessa Meneleu- Psicanalista

Conceito

Sentimentos Essenciais: FÉ

Por Débora Maciel – Psicoterapeuta @tratamente.deboramaciel

SENTIMENTOS ESSENCIAIS: ❤️❤️

Começo hoje uma Série na qual destacarei SENTIMENTOS ESSENCIAIS que precisamos ter para que haja um futuro melhor em nós.

Hoje quero trazer o sentimento de FÉ que se não existir não é possível nem operar milagres, e Jesus deixou isso bem claro nessa passagem Bíblica…

“Jesus não pôde fazer muitos milagres ali porque eles não tinham fé.” Mateus 13:58.

Dentre vários versículo bíblicos, escolhi esse, pois ele nos mostra mais do que o valor da fé, ele mostra que com a fé é possível alcançar algo que já não se tenha esperança, um milagre. E que para se alcançar um milagre é preciso da fé.

No contexto desse versículo, a bíblia nos mostra que Jesus estava de volta a Nazaré, sua cidade, e que Ele poderia ter feito muitos milagres ali, ou seja, Ele não deixou de fazê-los, mas Ele poderia ter operado muito mais, porém o povo não acreditou Nele, não teve fé em Jesus, em seus milagres. Com isso Jesus ficou impossibilitado de operar mais milagres em Nazaré. De alcançar mais vidas.

Em meu caminhar percebo a cada dia o valor desse sentimento e tenho utilizado muito dele em tudo que faço.

Sem a FÉ se torna impossível acreditar no amanhã e viver uma vida de esperança. Por isso também ouso dizer que a fé é mais que um sentimento. É um meio de se ver as situações da vida. De trazer a realidade o que se encontra no desconhecido, pois aquilo pode dar outro sentido a nossa vida.

TENHA FÉ, independente da situação que você esteja vivendo agora ou do milagre que precise, TENHA FÉ.

Não deixe de alcançar milagres em sua vida por não ter fé, ACREDITE E CREIA.

A fé é o início da ESPERANÇA. Com ela é possível acreditar em algo que não se vê, que ainda não se encontra ali, que não é concreto. É acreditar em sua mente, antes mesmo de poder enxergar.

A FÉ com certeza faz a diferença no desenrolar de uma história e de uma vida..E você, se lembra de algum momento em sua vida no qual precisou utilizar a FÉ?

No vídeo abaixo falo um pouco mais sobre esse Sentimento Essencial. Aprecie o Vídeo, Comente, Compartilhe, Acesse o Canal TrataMente Psicoterapia – por Débora Maciel [https://www.youtube.com/channel/UC2PSMMvOMlbcUunefRNyW3w/videos] e nos siga para conhecer e ver outros vídeos.

Deixe nos comentários sua experiência.

Sentimentos Essenciais: FÉ
Boas Vindas, Grupo de Estudos

Grupo GEPA

O GEPA é um grupo composto por pensadores que conscientes de sua ignorância estão em busca de aprender com as experiências.A fundamentação do grupo é a de uma psicanálise com a premissa do acolhimento, carecendo de elementos que não podem manter-se tão somente no plano teórico, mas que devem transcender e manifestar-se nas experiências dos vínculos. Isso é o que promove um movimento terapêutico no nível psíquico. Para tanto, mais do que dotes intelectuais, a maturidade emocional é imprescindível.A proposta é de ir para além do nível do saber sobre o outro, para se expandir na dimensão do ser para o outro.

Coordenação: Prof. Renato Dias Martino

Conheça o Site Gepa: https://www.gepa.com.br/

Participe dos Grupos:

Grupo de Estudos em Psicanalise

GRUPO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS: LUDOTERAPIA

Venha fazer parte do Grupo GEPA você também!!!

Apresentação Grupo Gepa – Grupo de Estudos em Psicanálise do Acolhimento
Atividades Infantis

Slime Caseira

Essa brincadeira todas as crianças gostam. Então para fazer slime de diversas cores e de montão, segue mais uma receitinha.

RECEITA SLIME

  1. Uma xícara (chá) cola glitter ou cola branca
  2. Corante alimentício
  3. Glitter
  4. Uma colher (sopa) Água boricada
  5. Uma colher (chá) Bicarbonato de sódio

MODO DE PREPARO

Misture a água boricada com bicarbonato de sódio, em um recipiente. Em um recipiente separado, misture a cola branca com o glitter, ou utilize apenas a cola com glitter, vá misturando aos poucos o conteúdo dos dois recipientes. Por fim acrescente o corante.

DICA: 1-Use corantes naturais. 2-Guarde em local fresco e arejado. 3-Mantenha em um pote bem fechado ou em saquinho plástico. 4-Não indicado para menores de 3 anos.

Crédito (foto): pinterest.com.br

Atividades Infantis

Atividades para Crianças

Hora da Brincadeira

Segue aqui algumas atividades selecionadas com todo o carinho para que os pais possam conduzir e se divertir com seus filhos. São atividades simples e que podem ser realizadas em casa. Aproveitem!!!!

ATIVIDADE 1 – BARBANTE CEGO

Materiais

  1. Barbante
  2. Papeis

Nos papeis escreva tarefas a serem executadas pelas crianças, pode ser dançar, cantar, gritar, pular, correr, abraçar, beijar, etc. Com o barbante faça um caminho passando por alguns lugares amarrando na altura da criança, cole os papeis com as tarefas no barbante. Agora amarre uma venda nos olhos das crianças e elas serão guiadas pelo barbante até a próxima tarefa ao alcançá-la irá abrí-lo e cumprir a tarefa, fará isso até o final do caminho.

ATIVIDADE 2 – TINTA E ALGODÃO

Materiais

  1. Tinta colorida
  2. Vasilha para colocar a tinta
  3. Algodão
  4. Prendedor de roupa
  5. Papéis

Coloque a tinta em potes cada um com uma cor. Fazer bolinha com o algodão e prendê-lo no prendedor de roupas. Dê para a criança molhar na tinta e pinta no papel.

ATIVIDADE 3 – PÉS DIFERENTES

Materiais

Sapatos de tamanho e modelos diferentes

Colocar em cada pé um modelo ou tamanho de sapado diferente e tentar andar com eles. Pode ser também com os pés trocados.

ATIVIDADE 4 – COORDENAÇÃO MOTORA

Materiais

  1. Gelo
  2. Vasilha
  3. Água
  4. Colher

Colocar os gelos em uma vasilha com água. Dar para cada criança uma colher para que ela tire o gelo mais rápido e em maior quantidade antes que ele derreta.

ATIVIDADE 5 – EQUILÍBRIO

Materiais

Papel

Coloque o papel na cabeça e tente equilibrá-lo andando por lugares diferentes sem deixá-lo cair.

ATIVIDADE 5 – BONECO GIGANTE

Materiais

  1. Papel grande de embrulho ou vários papéis colados mais ou menos do tamanho da criança.
  2. Caneta
  3. Tinta, canetinha de hidrocor, giz de cera ou lápis de cor

Desenhe o contorno do corpo da criança no papel, entre ele a ela e deixe que seja colorido da forma que ela quiser.

ATIVIDADE 6 – PULA-PULA

Materiais

  1. Colchão
  2. Almofadas

Espalhe as almofadas com o colchão no chão da sala e deixe que as crianças pulem de um lado para o outro, à vontade.

ATIVIDADE 7 – TREM VAI E VEM

Nesta brincadeira uma criança fica atrás da outra segurando nos ombros. A criança da frente conduzirá o trem da maneira que desejar e para a hora que quiser, as outras crianças terão que tentar acompanhá-la sem soltar as mãos dos ombros.

ATIVIDADE 8 – MALABARISMO COM BEXIGA

Materiais

  1. Bexigas cheias
  2. Lençol

Segure nas pontas do lençol, pode ser uma criança cada ponta. Coloque em cima o máximo de bexiga que conseguir. Agora tente equilibrá-las sem deixá-las cair.

ATIVIDADE 9 – MENSAGEM INVISÍVEL

Materiais

  1. Limão
  2. Pinceis
  3. Papel
  4. Recipiente

Esprema o limão em um recipiente. Com o pincel as crianças escreverão ou desenharão uma mensagem ou desenho no papel. Com o secador seque o papel antes que o limão seque e a mensagem aparecerá.

ATIVIDADE 10 – ONDAS NA ÁGUA

Materiais

  1. Bacia ou banheira com água
  2. Sementes de feijão

Ir jogando as sementes na água e ver quantas ondas se faz. Dessa forma ver quem consegue fazer mais ondas na água.

ATIVIDADE 11 – ARTE NO PAPEL TOALHA

Materiais

  1. Papel toalha
  2. Caneta hidrocor
  3. Borrifador de água

Faça um desenho no papel toalha com a caneta hidrocor. Depois borrife a água no desenho e espere secar, vendo como cada desenho ficará.

Que vocês possam criar o hábito de brincar com seus filhos. Aproveitem as brincadeiras aqui sugeridas e nos conte como foi nos comentários abaixo. Tire fotos e compartilhe nas redes sociais com a #tratamentedeboramaciel e #tratamenteblog.

Ótima diversão!!!

Credito (foto): pinterest.com.br